Os maiores desafios para quem quer trocar de carro

Mesmo em um cenário ruim da economia, muita gente está comprando carros ou trocando seus veículos por novos. Trocar de carro, na verdade, é muitas vezes a melhor solução para quem precisa de um automóvel novo e não quer ou não pode gastar muito. Mas, na pressa de fazer logo a troca, muita gente acaba deixando passar ótimas oportunidades de fechar negócio por um preço muito melhor.

Por isso, nós trouxemos abaixo uma relação dos maiores desafios enfrentados por quem quer fazer a troca e não sabe exatamente por onde começar e nem o que fazer. Confira!

Primeira coisa: saiba quanto seu carro vale

O primeiro grande desafio de quem quer trocar de carro é saber exatamente quanto o veículo está valendo atualmente no mercado. Para descobrir isso, existem pelo menos seis critérios nos quais você pode se basear: o tempo de uso, a evolução dos modelos, a quilometragem rodada, o custo atual de manutenção, as peças novas adquiridas em revisões e os acessórios que você incorporou ao veículo. Tudo isso conta na hora de calcular quanto exatamente o seu carro está valendo atualmente.

Mas não se esqueça: você dificilmente vai conseguir vender o seu veículo pelo preço que comprou, porque carros desvalorizam. Alguns desvalorizam mais, outros menos, mas na hora de trocar de carro o jeito é procurar fazer o melhor negócio possível.

Para ter uma ideia de quanto vale o seu veículo hoje, você pode consultar a Tabela Fipe, da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas. Os valores que aparecem na tabela, porém, podem variar de acordo com a concessionária, com o local onde a pessoa mora, com o estado de conservação do carro e até mesmo com a cor do veículo, e fazem referência aos preços médios baseados no mercado nacional para servir de base para eventuais negociações.

Mas você pode, ainda, levar seu carro até uma concessionária ou revendedora e submetê-lo a uma avaliação para já sair de lá com um valor com o qual você possa negociar.

Fazer pequenos investimento faz diferença?

Com certeza! Antes de trocar de carro, é interessante leva-lo para uma oficina mecânica e fazer uma revisão geral no veículo e arrumar aquilo que for essencial para aí sim fazer a troca. Carros mais bem conservados, com peças novas, limpos, sem riscos e com todo o resto no lugar sem dúvidas valem mais.

Por isso, fazer pequenos investimentos – porque de nada adianta pagar um conserto que custe um valor mais alto que o de um carro novo – pode valer muito a pena. Mas qual investimento vale realmente a pena fazer? Depende muito do modelo do carro, mas o objetivo é sempre o mesmo: deixa-lo mais bonito.

Cristalização, enceramento ou polimento?

Os três são tratamentos diferentes, mas têm como finalidade proteger a pintura do veículo. Eles tiram manchas e riscos, protegem a pintura original e dão brilho, mas variam em termos de durabilidade da proteção e no que diz respeito ao estado da pintura do veículo. Por isso, é importante saber a diferença entre cada um desses tratamentos.



Conheça a evolução do modelo do carro

Além de enviar o carro para revisão, fazer os investimentos que julgar necessário e calcular quanto seu veículo vale, é interessante também ficar atento à evolução do modelo do seu carro. Isso porque, com o lançamento de novas versões de um mesmo carro, ele costuma desvalorizar no mercado. É o mesmo que acontece com celulares, por exemplo: uma vez lançado um novo modelo, o anterior fica defasado e consequentemente passa a valer menos.


CTA